Estreia dos sub-20 na Divisão A
O futuro é risonho!
Aug 04, 2022
Hoopers

Os estreantes no Campeonato Europeu sub-20 Divisão A não conseguiram assegurar a manutenção na principal divisão de basquetebol europeu. 

Portugal disputou 7 jogos, 3 dos quais na fase de grupos, onde consumou a primeira vitória na Divisão A ao derrotar a campeã em título, Israel, no prolongamento por 90-86. A seleção nacional venceu também a República Chéquia na fase a eliminar, mas acabou por não ser suficiente para assegurar a permanência.

Portugal defrontou no primeiro jogo a Itália, equipa que vencemos nos jogos de preparação num final de loucos, e saiu derrotada por 67-71.

Apesar de um começo atribulado, a segunda parte foi nossa e tivemos perto de fazer a remontada. 

André Cruz foi o principal elemento em destaque com 22 pontos, 6 ressaltos e 3 assistências. 

Rúben Prey registou 13 pontos, 8 ressaltos e 1 roubo de bola e a sair do banco, Diogo Seixas apontou 15 pontos, 3 ressaltos, 1 assistência, 4 roubos de bola e 2 desarmes de lançamento. \[](https://twitter.com/martimfs/status/1549001628631519232?s=21)

O segundo jogo na competição foi magnífico, onde Portugal consumou a primeira vitória na Divisão A ao derrotar a campeã em título, Israel, no prolongamento por 90-86.

André Cruz levou Portugal às costas, num jogo onde atingiu +40 de eficácia, onde marcou 25 pontos, 19 ressaltos, 4 assistências e 3 roubos de bola.

Rúben Prey somou 24 pontos, 5 ressaltos e 2 roubos de bola num jogo onde o dagger é dele!

Apesar da motivação adquirida para encarar o terceiro jogo e de um começo fantástico onde estivemos a vencer por dígitos duplos, Portugal deixou-se dormir e a partir do segundo período deixámos de conseguir ter mão no jogo e a vantagem grega dilatou-se. 

Perdemos por 91-56 num jogo que deixou claro algum cansaço físico e mental. 

O jogador mais inconformado foi Rúben Prey com 15 pontos e 8 ressaltos.

A derrota empurrou para o último lugar do grupo já que do outro lado, Israel acabou por vencer Itália.

Após a fase de grupos, a FIBA destacou Rúben Prey, apelidando o jogador mais jovem de todo o torneio de “predator”. Uma menção honrosa foi também dirigida ao craque, André Cruz.

Portugal terminou em último lugar do Grupo B, com 1 vitória e 2 derrotas e por isso seguia-se pela frente a França (1° lugar do Grupo A), nos oitavos de final da competição.

O jogo esteve renhido e Portugal conseguiu mostrar que era capaz de se bater com a poderosa seleção francesa, contudo, não foi suficiente para levar a vitória para casa e caímos para o grupo dos últimos 8. 

André Cruz foi o jogador mais ativo da seleção nacional com um duplo-duplo:17 pontos, 10 ressaltos, 2 assistências, 3 roubos de bola e 1 desarme de lançamento.

O talento e potencial do Rúben Prey eram por mais evidentes e impossível era não ser notado, falado, abordado e elogiado. A “Portugal-Next-Big-Thing” deu muito que falar e de certeza que será um nome para acompanhar em breve e que muito provavelmente irá fazer companhia ao nosso querido Neemias Queta.

https://www.fiba.basketball/europe/u20/2022/news/player-spotlight-ruben-prey-portugal-s-next-big-thing 

Portugal tinha agora de vencer para evitar a despromoção e procurar conquistar o melhor lugar possível- 9.º lugar e para isso era necessário começar por vencer a Alemanha, seleção que já havíamos defrontado na preparação. 

Já nada corria bem à nossa seleção e fomos vencidos por 60-86, onde Rúben Prey conquistou 18 pontos, 6 ressaltos e 4 assistências.

Após a derrota, Portugal teria agora de vencer os 2 últimos jogos para garantir a permanência na Divisão A.

O primeiro adversário foi a República Chéquia, que vencemos com alguma tranquilidade e segurámos um balão de oxigénio (e a nossa segunda vitória na competição). Rúben Prey brilhou com um magnífico duplo-duplo: 23 pontos, 17 ressaltos (12 ofensivos), 2 assistências, 2 roubos de bola e 5 desarmes de lançamento, com apenas 17 anos, recorde-se.

O derradeiro jogo opunha a nossa seleção e a Polónia, sabendo que uma iria ficar na principal divisão de basquetebol europeu e a outra ia cair para a Divisão B. Portugal lutou com tudo o que tinha mas não foi suficiente e regressa assim à Divisão B, apesar de ter dado provas de que há muito talento e qualidade nesta geração e que o regresso estará para breve. André Cruz registou 16 pontos, 7 ressaltos e 2 roubos de bola no seu último jogo pela seleção sub-20.

Os principais destaques da seleção nacional foram André Cruz, Rúben Prey e Diogo Seixas.
André Cruz recebeu e aceitou uma proposta de D1 após uma estreia de sonho no Europeu.

Redação: Hoopers

Escrito por: Martim Figueiredo

go back